Os sacramentos são sinais eficazes da graça, da presença salvífica de Deus a caminhar conosco, que nos toca nas diversas circunstâncias e nos inúmeros momentos de nossas vidas, nos santificando, nos aproximando de Deus, nos fazendo discípulos e seguidores de Jesus na Igreja. São sete os sacramentos e marcam com a presença de Deus o nascimento, os momentos de passagens, a comunhão e o alimento na comunidade; o compromisso, a força na enfermidade, o perdão diante da fragilidade humana e do pecado; a resposta à vocação familiar e o serviço de entrega à Igreja. Podemos enumerá-los: batismo, confirmação, eucaristia, penitência, unção dos enfermos, ordem e matrimônio.

Baseado em um texto do Pe. Gregório Lutz, podemos entender os sacramentos com mais clareza, olhando uma vez como acontecem na Igreja. Há sempre um grupo de pessoas reunidas (comunidade), que ouvem a Palavra de Deus e a ela respondem em oração e canto. Também sempre há um rito, gestos e sinais, acompanhados por palavras que dizem o que esse gesto significa. Tal significado vai sempre além da simples ação física. A ação sacramental opera a salvação, leva a ação salvífica de Cristo, aqui e agora, a causar efeito nas pessoas que celebram o sacramento. Essa eficácia dos sacramentos é evidentemente obra divina, que se dá através das ações simbólicas dos ministros dos sacramentos, com a cooperação da assembleia dos fiéis e, sobretudo, daqueles que recebem um sacramento. Esses devem se abrir para o dom da graça que Deus lhes quer dar no sacramento.

Cada sacramento tem uma dimensão teológica e outra celebrativa, como também a prática, o agir a partir do sacramento celebrado, sob seus efeitos santificantes. Nos sacramentos, a Igreja realiza-se como sacramento para a salvação do mundo; na celebração litúrgica (dimensão celebrativa), a ação salvífica de Deus age na comunidade cristã. Dentro da dimensão teológica, podemos destacar que os sacramentos partem da páscoa de Cristo e atualizam o mistério pascal; o Espírito Santo prepara a Igreja para que se encontre com seu Senhor, preparando os corações para acolherem a Palavra e a presença de Deus; Cristo é o sacramento do Encontro com Deus e quando a comunidade celebra os sacramentos que Jesus ressuscitado nos redime.

Em síntese, entendemos que os sacramentos são de Cristo porque os mistérios de sua vida são o fundamento da vida cristã. Os sacramentos são da Igreja e para a Igreja porque a Igreja é o sacramento de Cristo e porque os sacramentos constituem a Igreja. Os sacramentos são ordenados para a santificação dos humanos, para a edificação do Corpo de Cristo e, definitivamente, como manifestação de louvação ao Deus da vida.

Envie também sua dúvida que poderá ser respondida na próxima edição do jornal, escreva e-mail para robertobocalete@yahoo.com.br. Obrigado e até o mês que vem.

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Conteúdo relacionado

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.