Artigos, Pe. Rafael Dalben › 10/07/2016

Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus não enviou seu Filho para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele (Jo 3,16-17). Jesus nasceu numa época de muita corrupção e injustiça contra os mais pobres. Ele foi percebendo e sofrendo a situação junto com os mais pobres e injustiçados e diante dessa realidade revelou o amor do Pai por eles, dando-lhes, assim, mais esperança.

Deus enviou seu filho Jesus Cristo para todos reconhecerem que só existe um só Deus também em três pessoas iguais e distintas nos serviços fundamentais: sustentar a criação, redimir e santificar o homem e a mulher.

Jesus Cristo, como vocacionado do Pai, ensinou-nos que Deus é Pai de todos, e todos devemos amar com o mesmo amor que Deus deu para cada um de nós. Jesus nos ensinou que devemos amar não somente a Deus, mas também o nosso próximo. E para amar precisamos reconhecer as qualidades dos outros, ter paciência, desculpar, perdoar, ajudar as pessoas, principalmente as que mais precisam.

A partir dos santos Evangelhos, destacamos alguns pontos que nos ajudam a perceber a grandeza da missão de Jesus e servem de ensinamentos para vivermos bem nossa vida de cristãos.

Em primeiro lugar, destacamos o quanto Jesus nos ensina por seu exemplo e testemunho, nos quais Ele revela um amor abnegado ao Pai e a busca da edificação de seu Reino. Outro ponto fundamental foi a busca da edificação da justiça. Jesus percebendo as injustiças na sociedade mostrou-se solidário aos mais pobres e marginalizados.

A Sagrada Escritura nos mostra também que Jesus é o vocacionado do Pai. Ele serviu e amou até o fim, até aniquilar-se por amor a nós. A vocação de amar e servir, Jesus passou, também, para seus discípulos. Jesus foi fiel ao Plano da Salvação até o fim. Notamos que em sua missão teve de enfrentar muitas barreiras, críticas, perseguições políticas e religiosas, prisão, tortura e morte na cruz.

Sabemos, também, que se tudo tivesse acabado por ali, na morte de Jesus, hoje não estaríamos aqui refletindo nossa vocação cristã. A Boa-nova do Reino de Deus, anunciada e testemunhada por Jesus Cristo, liberta-nos e faz com que buscaquemos a construção de um mundo mais amoroso, fervoroso, fraterno e justo.

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Conteúdo relacionado

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.