Distinção e aproximação dos conceitos

À medida que afirmamos ser a inciaição à vida cristã, isto é, a transmissão da fé às novas gerações, um dos principais desafios eclesiais contemporâneos, torna-se necessário situá-la no conjunto da ação evangelizadora da Igreja, bem como oferecer uma melhor aproximação e diferenciação entre alguns conceitos relativos ao processo da maturação da fé. Interessam-nos sobremaneira e aproximação dos termos catequese e iniciação à vida cristã. A necessidade se justifica pelo resquício na história da evangelização que por muito tempo reduziu todo o processo de iniciação à vida cristã à catequese, e esta concebida como mera transmissão de conteúdos, portanto, alheia a um processo mais amplo e integrado de amadurecimento na fé. Em outras palavras, por muito tempo o itinerário de inciação cristã foi reduzido ao seu segundo momento, ou seja, à catequese propriamente dita, nas funções de ensino-doutrinação, perdendo toda aquela prática mistagogica e processual da qual estava revestida. Tal atitude, em parte, é compreensível pelo fato de naquele contexto se estar imerso num ambiente cultural que por si garantia o primeiro anuncio. Dito com outras palavras, em época de identificação do cultural com o religioso, boa parte da inciação religiosa estava garantida, urgindo apenas a tarefa do repasse de conteúdos, isto é, a catequização. Contudo, quando o longo processo de iniciação à vida cristã é simploriamente confundido com o momento catequético, corre-se o inevitável risco de catequizar sem iniciar na fé, preocupação essa percebida na Conferencia de Aparecida:

Ou educamos na fé, colocando as pessoas realmente em contato com Jesus Cristo e convidando-as para seu seguimento, ou não cumpriremos nossa missão evangelizadora. Impõe a tarefa irrenunciável de oferecer uma modalidade de iniciação cristã, que além de marcar o que, também de elementos para o quem, o como e onde se realiza (DAp 287).

Posto isso, por iniciação à vida cristã ‘se entende todo o processo pelo qual alguém é incorporado ao mistério de Cristo Jesus; portanto não se reduz à catequese. Esse é apenas um elemento do complexo processo pelo qual alguém é iniciado na fé cristã’. Trata-se de um intenso processo percorrido para se chegar à realidade da incorporação em Cristo, do ponto de vista experiencial e existencial, realizado e celebrado sacramentalmente.

Fonte: Paróquia e Iniciação Cristã – Editora Paulus

Pe. José Eduardo Vitoreti

Pe. José Eduardo Vitoreti

Ver todos os posts
Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Conteúdo relacionado

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.