Claudio Rodrigues dos Santos

Os santos que não são santos

A Festa que celebramos no dia 01 de novembro próximo, Festa de Todos os Santos, abarca não apenas os santos que estão no céu, mas[U1]  também um pedacinho de cada um de nós que estamos aqui na terra. De modo geral, temos uma visão muito equivocada do que significa ser santo ou santa. O Catecismo da Igreja Católica (CIC), no parágrafo 823, diz que “a Igreja é o povo santo de Deus e seus membros são chamados santos”.

A visão equivocada de santidade é a de que devemos andar corretamente, sem nunca errar e seguindo todas as regras perfeitamente. Não é mesmo? Pois saiba que este ideal não é humano. Não somos, nem podemos ser perfeitos, pois só Deus, nosso Pai é perfeito (Apocalipse 4,8). Nossa vida é um eterno caminhar em busca dessa perfeição. E caminhamos como igreja onde residem a “plenitude dos meios de salvação” e onde ”adquirimos a santidade pela graça de Deus”. (CIC, 824)

Mesmo os santos que estão em nossos altares só se tornaram santos porque foram santos no dia-a-dia. E muitos dos santos do nosso dia-a-dia não figuram e nunca estarão nos altares das igrejas. Pense em quantas pessoas você conhece que morreram em Cristo! Pense em quanta glória, beleza e santidade estão ocultas nos nossos corações e que serão reveladas quando um dia nos encontrarmos no esplendor da glória celeste! Ou pensem em quantas pessoas trabalham pela justiça, pela paz, pela misericórdia, tendo olhar transparente, e sem dúvida um dia verão a Deus! Ou pensem naqueles que cuidam dos pobres, que são mansos e vivem virtuosamente e anonimamente; será que não são santos?

Recebemos notícias de beatificações, canonizações de pessoas das quais tivemos a graça de ver ou ouvir os ensinamentos e testemunhos: São João Paulo II, Padre Pio, Santa Madre Tereza de Calcutá. Mas além desses há muitos outros e juntos destes estamos nós, que aderirmos ao projeto de Deus quando ouvimos e praticamos a palavra que diz “A exemplo da santidade daquele que vos chamou, sede também vós santos, em todas as vossas ações, pois está escrito: ‘Sede santos, porque eu sou santo’” (1Pedro 1,15-16).

Não é menos santo o pai de família que na dificuldade cotidiana encontra tempo e forças para sorrir, brincar e educar seus filhos; não é menos santa a mãe que diz estar sem fome para sobrar mais à mesa quase vazia, e quanta santidade encontramos em muitos trabalhadores infelizes com a própria situação, que duplicam seus esforços na esperança de dias melhores; ou mães que mesmo com filhos, glorificam a Deus pela chegada de mais um, confiantes em sua providência.

E  por essas e outras  não podemos esquecer que há muitos santos que não são santos e a Festa de Todos os Santos nos convida a celebramos a santidade de cada um.

Claudio Rodrigues dos Santos, candidato ao diaconato permanente, Paróquia Santo Expedito.

Textos e Artigos Diversos

Textos e Artigos Diversos

Ver todos os posts
Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.