Dia Nacional do Catequista

Dia Nacional do Catequista

29/08/2018 0 Por Diocese de São José do Rio Preto

Celebrou-se no último domingo do vocacional mês de agosto a vocação dos catequistas, que transmitem e aprofundam a fé aos catecúmenos. Irmã Rosângela Aparecida Fontoura – Coordenadora da Pastoral Bíblico-Catequética, Padre José Eduardo Vitoreti – Assessor diocesano da Pastoral, o bispo diocesano Dom Tomé Ferreira da Silva e 450 catequistas se reuniram no último dia 26, na Paróquia Santa Isabel, em Uchôa, para celebrarem o Dia Nacional do Catequista.

O tema escolhido para este dia foi “Catequista, chamado à santidade no mundo atual”. Os presentes iniciaram o dia dedicando um bom tempo à oração. Em seguida, José Reinaldo, da Associação dos Leigos Consagrados Comunhão e Missão, aprofundou os principais pontos da exortação apostólica “Gaudete et Exsultate”.

Padre José Eduardo – padre Zezinho – escreveu uma nota sobre esse dia tão especial para os catequistas da Igreja Católica.

 

“O dia nacional do catequista celebrado no último domingo de agosto é um momento significativo, pois além de nos encontrarmos para celebrar o Dia do Catequista, pensamos a vida com momentos de oração e reflexão. Neste ano, usamos a exortação apostólica do Santo padre o Papa Francisco a Gaudete et Exsultate, sobre o chamado à santidade no mundo atual. O Dia Nacional de Catequese, abraçado por toda a Igreja no Brasil, é um dia onde a diocese reúne catequistas para celebrar esse tão necessário e importante ministério na Igreja”.

 

Cíntia da Silva Braga é catequista há 14 anos, desde 2004 exerce este ministério. Ela participou do Dia Nacional do Catequista, em Uchôa no último domingo. Cíntia é uma entre os quatorze catequistas da Paróquia Imaculada Conceição de Nossa Senhora, no Parque Estoril, em São José do Rio Preto. A experiente catequista – hoje auxilia na fé os adultos da 2ª fase da Crisma – explica o que é essencial para assumir a catequese como missão. “Além da vocação, do chamado realizado por Deus, é necessário que tenhamos muito empenho e vontade de aprender. Para que possamos fazer com que os nossos catequizandos façam a experiência de Jesus é necessário conhecê-lo bem através de toda a Literatura que temos”. Quando disse literatura, Cíntia Braga se referia aos estudos e documentos que os catequetas, padres e bispos disponibilizam para que ela e os demais catequistas favoreçam ao catequizandos um encontro verdadeiro com Jesus. “Hoje em dia a catequese tem mudado. Na minha época, por exemplo, os livros vinham com perguntas, respostas, tarefas, muito parecido com a escola, mas hoje percebemos a importância de distanciar as duas coisas, pois a catequese não é um período que se forma quando recebe os sacramentos, a catequese é um período que nos ajuda a iniciar a vida cristã”, emenda a catequista.

 

Escola Bíblico-Catequética

Estudar nunca é demais. A Diocese de São José do Rio Preto favorece um bom conhecimento como a Escola Bíblico-Catequética (EBICAT). Segundo Cíntia Braga, a Ebicat está “direcionada para onde e como os catequistas devem proceder com os catequizandos que fazem o caminho catecumenal”. A EBICAT está organizada para oferecer aos catequistas um processo de formação iniciática e experiencial. Está dividida em módulos (introdutórios e centrais) e visa preparar os catequistas para o ministério da catequese fecundo e articulado.

 

Compartilhe: