Artigos, Dicas de Saúde › 19/06/2017

A Amargura Vista por um Microscópio

A amargura é filha de ofensas nutridas por muito tempo

Aristóteles, filósofo da Grécia antiga, observou: “As pessoas amargas são difíceis de reconciliar e conservam a raiva por muito tempo porque sufocam a animosidade”. Se consultarmos o dicionário encontraremos os seguintes termos referentes à amargura: “tristeza, sofrimento, mágoa, amargor, azedume”. Seu fruto azedo inclui um espírito crítico, animosidade, irascibilidade, autojustificação e tendência a ser contencioso. A pessoa amarga acredita sempre que ninguém a compreende e que o mundo está contra ela. Vomita suas ofensas naqueles que lhe estão mais próximos, pondo de lado exatamente os que podem ajudar. Isso, em troca, reforça sua crença de que ninguém se importa. As pessoas amargas acabam ficando numa condição solitária e miserável.

A amargura deixa várias pegadas reveladoras em nossa alma.

Veja na lista abaixo  se algum tópico  descreve você ou alguém que você conhece:

  1. Dificuldade em ouvir o nome de alguém ou encontrá-lo publicamente sem ficar tomado por emoções negativas;
  2. Pensamentos de vingança, incluindo fantasias de possíveis danos ao ofensor;
  3. Preocupação excessiva com os eventos que cercam a ofensa;
  4. Obsessão ao conversar, contando constantemente a qualquer um que ouça a respeito da ofensa, até cansar;
  5. Vida devocional empobrecida. O tempo valioso outrora gasto com Deus acaba quando se instala a secura espiritual, e a pessoa sente-se distante de Deus.

Se qualquer um destes itens descreve você, é possível que tenha algumas ofensas não resolvidas para acertar. E você tem um bom motivo para resolvê-las!

Qual a solução?

Perdão!

Perdoar não é uma fraqueza e sim um ato de fortaleza. Perdoar não é desculpar (você não vai eliminar a culpa de outra pessoa) e sim um ato de amor para consigo mesmo.

Com o perdão será possível eliminar todo este “lixo emocional” contido dentro de você.

Perdoar vai aproximar você de Deus, pois não é possível conciliar dentro de um mesmo coração o amor, o ódio ou amargura.

Para viver no caminho cristão do amor, perdoar é fundamental.

 

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.