› Como estrelas na terra

O filme Como estrelas na terra é uma produção cinematográfica indiana de 2007. É um drama de 165 minutos que conta a história de Ishaan Awasthi, protagonizado pelo ator mirim Darsheel Safary. Ishaan é um garoto de nove anos, que vive com os pais e o irmão mais velho em uma pequena comunidade da Índia. Ishaan é uma criança normal, brinca, desafia os pais e faz artes como qualquer garoto da sua idade, no entanto está passando por dificuldades na escola e corre o risco de reprovar mais uma vez. É motivo de constantes punições por conta de sua “desobediência” na escola. Durante as aulas, o garoto é disperso e vive num mundo que somente ele vê. Sua mente criativa é ignorada e repreendida pelos professores. Na sala de aula os números da prova de matemática criam vida e travam uma verdadeira guerra intergaláctica com Ishaan, que, por sua vez, ignora os códigos, para ele o seu mundo é totalmente diferente, seja na cor ou no ritmo, do que aquele em que seus colegas de classe vivem. Ishaan é capaz de alçar vôo junto com os pássaros que vê, admira por horas o vôo das borboletas, se encanta com os pássaros alimentando seus filhos, com os pingos da chuva e a imagem que forma quando estes vão de encontro a uma poça d’água.  As nuvens se tornam o seu chão, é um verdadeiro sonhador. Mas na escola sonhos não fazem parte do currículo escolar. Para os professores Ishaan não passa de uma criança irresponsável e preguiçosa.

O mesmo pensamento tem o pai do garoto, que o ameaça diversas vezes, acusando-o de preguiça, burrice e até mesmo de nomes piores. Por conta das diversas advertências da escola, o pai de Ishaan cumpre com as promessas e o manda para um colégio interno, acreditando ser essa a única solução para a falta de educação do filho. No colégio a situação agrava-se muito, pois, professores e colegas não aceitam o menino e o desprezam tornando-o uma criança isolada e infeliz.

Nesse colégio há um professor substituto de artes, Ram Shankar Nikumbh, que conhece Ishaan e percebe que é uma criança saudável, mas tem a dor nos olhos. Decide investigar e descobre que o aluno tem dislexia (é um jeito diferente de ser e de aprender; é o aprendizado individual de uma mente brilhante, que aprende em compasso diferente dos demais).

O professor sensível a dor do aluno opta por um método simples, mas inovador, ensinar Ishaan com arte. Com letras coloridas feitas de massa para modelar, teatro e brincadeiras que envolvem toda a turma e possibilitam a expressão da genialidade do garoto.

A compaixão do professor resgatou o Ishaan de uma situação de marginalidade gerada pela indiferença á sua humanidade, por parte de pais, professores e colegas. O interesse por sua deficiência foi fundamental para descobrir o ser humano cheio de potencialidades, mas que tinha seu próprio tempo para aprender e assim produzir para corresponder as expectativas de toda uma sociedade que exige o máximo de cada pessoa, mas não tem estrutura para oferecer o mínimo de condições ou recursos para que todos se desenvolvam de forma justa e igual.

Assisti Como estrelas na terra e recomendo, pois é educativo, informativo e emocionante. Em várias cenas me flagrei comovido com a dor de Ishaan e também vibrando com cada uma de suas conquistas.

Pe. Rogério Corrêa
Paróquia São João Apóstolo e Nossa Senhora das Dores

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online