› Peregrino Russo

Relatos de um peregrino russoUm livro encantador, catequético e extraordinário. O descobri pela indicação de um amigo que, despretensiosamente, o citou numa das nossas conversas. O título, por si só, já me chamou atenção e me despertou pronta curiosidade. Em poucos dias, já de posse do pequeno oráculo e embarcado nos passos do peregrino anônimo, aprendi que nem sempre estar sozinho é viver em solidão. Na sua longa epopeia, entre alegrias e decepções, lágrimas e sorrisos, quedas e superações, recobrei-me uma prática quase que adormecida em mim: a oração do coração. Se ter amigos que são amigo de Jesus já é bom, imagine sentar-se à mesa com Ele? Relatos de um Peregrino Russo nos proporciona isso. Nos redefine o sentido de santidade que, segundo a obra, nada mais é que “a ressurreição, no homem pecador, do estado de inocência do primeiro homem, graças aos esforços e virtudes”.

O autor é um russo anônimo do século XIX, que relata sua jornada geográfica e espiritual pelo interior da Rússia, enquanto descobre a pratica da Oração de Jesus. Como auxílio à concentração, ele se vale de um rosário cristão oriental e da leitura da Filocalia, um livro clássico da literatura católica ortodoxa, como uma coletânea de textos de autores diversos sobre a Oração do Coração.

O pobre e disciplinado peregrino queria aprender a rezar, pois leu certa vez na Bíblia que deveríamos “orar sem cessar”. Ele procurou muitos mestres, e nenhum o satisfez, até que encontrou um monge que lhe ensinou a ORAÇÃO DE JESUS, a repetição do nome de JESUS… O homem então começou a repetir o nome de JESUS até que a oração tomou conta de sua mente e de sua vida.

Relatos de um Peregrino Russo não é só um livro, mas um manual prático de restauração pessoal. Tão efêmero quanto profundo, nos faz não só viajar mentalmente pelo interior da Rússia antiga, mas para dentro da nossa alma e nos cômodos mais esquecidos do nosso próprio coração.

Mario Welber Bongiovani
Jornalista

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online