Cnbb › 16/01/2018

Especial

Juventude católica começa 2018, ano em que será tema do Sínodo dos Bispos, com novidades

No ano em que a Igreja Católica tem a juventude como tema central da Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, no mês de outubro, os jovens católicos no Brasil dá demonstrações de que está conectada com este desafio. Em Rio Branco, capital do Acre, se realiza de 07 a 14 de março, o XII Encontro Nacional da Pastoral da Juventude, uma das organizações que integram o trabalho da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O encontro que, tem como tema: “Txai: da seiva da vida, a festa do bem viver”, está promovendo diálogos sobre a realidade social e eclesial sobre a realidade da juventude brasileira. O primeiro “diálogo à beira do poço” reuniu o Padre Luiz Ceppi, que atua no Acre há 34 anos, junto da jovem e assistente social potiguar, Janaina Sales, do ex-presidente do Conselho Nacional da Juventude, Daniel Souza, e da coordenadora de projetos do Anchietanum, Vanessa Correia.

Dom Benedito Araújo, bispo referencial da juventude no Regional Noroeste, dom Nelson Francelino, bispo membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude participaram da mesa de abertura. Segundo dom Benedito, o ENPJ, além de ser um momento de experiências marcantes, também é um marco para a história da Pastoral da Juventude.

Francisca Eugênia, 68 anos, acolheu alguns jovens na Comunidade Nossa Senhora Aparecida, pertencente a Paróquia São João Batista, no Bujari, interior do Acre. Segundo ela, acolher essa juventude que vem de diversos lugares do Brasil, conhecendo as realidades locais, é motivo de muita alegria. “Ver jovens levando a palavra de Deus é a coisa mais linda, pois não vemos muito isso hoje em dia, somente notícias tristes. Então, perceber os jovens nessa caminhada é algo que me chama bastante atenção”, afirmou Eugênia.Os jovens que participam do 12º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude (ENPJ) também estão realizando ações missionarias nas paróquias dos municípios de Rio Branco e do Bujari, no interior do Estado, durante a última terça-feira, 9. Antes de iniciar o dia missionário, a juventude do ENPJ vivenciou uma breve mística de envio. Os delegados foram divididos em equipes para visitarem 21 espaços de missão, distribuídos entre as paróquias da diocese e a Penitenciária Francisco de Oliveira Conde (FOC).

Rota da Vida – Outra ação coordenada pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude é o projeto Rota da Vida. Baseado no tema da Campanha da Fraternidade 2018, “Fraternidade e Superação da Violência” e no lema “Em Cristo somos todos irmãos” (Mt 23,8), projeto que visa a valorização da vida e combate à violência e tem por objetivo dar mais um passo no aprofundamento da realidade juvenil no Brasil a partir do Mapa da Violência 2016 elaborado por Jacob e disponível em: www.mapadaviolencia.org.br.

O projeto é voltado para Educadores/as, professores/as, jovens líderes e acompanhantes de crianças, adolescentes e jovens. A partir do Mapa da Violência a Comissão Episcopal para a Juventude, em parceria com as Dioceses locais, desenvolverão encontros nessas localidades, as quais foram escolhidas pelo Ranking de índice de mortalidade, e a partir disso, uma nova pesquisa será feita a fim de tabular e responder o seguinte questionamento: Como e por qual motivo morre a juventude no Brasil? Os fóruns/encontros serão realizados nas capitais dos Estados com maior índice de violência juvenil de acordo com o último levantamento feito pela pesquisa citada acima, são eles: Alagoas – Maceió; Natal – Rio Grande do Norte; Ceará – Fortaleza;  Sergipe – Aracaju; Maranhão – São Luis do Maranhão; Espírito Santo – Vitória e Goiás – Goiânia.

Os seminários/fóruns nessas cidades querem contribuir para uma reflexão mais ampla junto às pessoas que trabalham na educação e no acompanhamento de adolescentes e jovens. A primeira Rota será em Maceió no próximo dia 20/02. O segundo encontro será em Natal no dia 9 de Março. Os demais encontros estão sendo agendados de acordo com a disponibilidade das Dioceses.

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.