Arquidiocese lança campanha solidária após rompimento de barragem em Brumadinho

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu nesta sexta-feira, 25 de janeiro, em Brumadinho (MG), gerando um mar de lama que causou grande destruição; diante do ocorrido, a Arquidiocese de Belo Horizonte lançou uma campanha solidária para ajudar os atingidos.

De acordo com nota emitida pela própria mineradora Vale, “no início desta tarde, ocorreu o rompimento da Barragem 1 da Mina Feijão, em Brumadinho (MG)”.

De acordo com a empresa, os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Como havia funcionários no local do rompimento, a mineradora não rejeita a possibilidade de vítimas, embora “ainda não confirmada”.

Segundo informações da imprensa, quatro feridos foram levados ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil municipal e estadual fazem buscas pelo local, contando com o apoio de helicópteros que sobrevoam a área.

“A prioridade máxima da empresa, neste momento, é apoiar nos resgates para ajudar a preservar e proteger a vida de empregados, próprios e terceiros, e das comunidades locais”, concluiu a nota da Vale.

Por meio de redes sociais, as prefeituras de Brumadinho, Mario Campos, Juatuba, São Joaquim de Bicas, Igarapé e Betim publicaram alertas para que a população não fique perto do leito Rio Paraopeba.

Diante do ocorrido, a Arquidiocese de Belo Horizonte lançou a campanha solidária #JuntosPor Brumadinho, a fim de “arrecadar roupas, alimentos e água, destinados aos atingidos pelo rompimento da barragem”

Por sua vez, o Arcebispo local, Dom Walmor Oliveira de Azevedo expressou por meio de uma publicação em sua página no Facebook a união da Arquidiocese “a cada um dos atingidos, compartilhando suas dores”.

“Nossas comunidades de fé, especialmente às que servem ao Vale do Paraopeba, estejam juntas, para levar amparo, ajuda, a todos que sofrem diante de tão lamentável tragédia”, completou.

Segundo Dom Walmor, “os danos humanos e socioambientais são irreparáveis e apontam para uma urgência, já tão evidente: é preciso repensar modelos de desenvolvimento que desconsideram o respeito à natureza, os parâmetros de sustentabilidade”.

“A Arquidiocese de Belo Horizonte defende, incansavelmente, de modo inegociável, a natureza, obra do Criador, compreendendo que o ser humano, as plantas e os animais devem viver em completa harmonia, pois são todos habitantes do planeta, a Casa Comum”, afirma.

Além disso, convida todos a rezarem “pelas vítimas desta tragédia, unidos ao coração de cada pessoa e de todas as famílias que sofrem, renovemos, mais uma vez, o nosso compromisso com a solidariedade”.

“É urgência minimizar a dor dos atingidos por mais esse desastre ambiental, sem se esquecer de acompanhar, de perto, a atuação das autoridades, na apuração dos responsáveis por mais um triste e lamentável episódio, chaga aberta no coração de Minas Gerais. A justiça seja feita, com lucidez e sem mediocridades que geram passivos, com sentido humanístico e priorizando o bem comum, com incondicional respeito e compromisso com os mais pobres”, concluiu.

Segundo a Arquidiocese de Belo Horizonte, as doações aos atingidos pelo rompimento da barragem “podem ser entregues no seguinte endereço: Rua Além Paraíba, 208 – Lagoinha. Telefone: 3423-2187”.

Também é possível doar pela conta: Agência – 3494-0 / Conta Corrente: 26227-7

Fonte: ACI Digital

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.