Grande marcha pela vida no Brasil ergue a voz contra o ativismo judicial

 

Uma grande marcha pela vida será promovida no Brasil no próximo dia 2 de dezembro, em São Paulo, a fim de levantar a voz contra o ativismo judicial que busca descriminalizar o abortono país; além disso, une-se ao movimento internacional de países latino-americanos na defesa de leis que protejam as duas vidas: a do nascituro e a da gestante.

Segundo os organizadores, “os movimentos pró-vida no Brasil têm promovido marchas pela vida há muitos anos, em diversas cidades, frente ao risco constante de aprovação do aborto pelo Congresso Nacional”.

Porém, ressaltam que “atualmente setores pró-aborto chegaram até a driblar o sistema democrático para tentar impor essa prática através da ADPF 442/2017”, apresentada pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

Esta ADPF 442 questiona os artigos 124 e 126 do Código Penal, que tipificam o crime de aborto, alegando a sua inconstitucionalidade. Assim, propõe a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação.

“Por isso – explicam os organizadores –, no dia 02 de dezembro, nós brasileiros realizaremos uma grande concentração para a defesa de propostas, ideias e mensagens em defesa da vida, num ambiente de solidariedade, música e alegria”.

Assim, a Marcha pela Vida, apresentará entre seus objetivos e propostas: pressionar os poderes públicos a respeitarem a vida desde a concepção até a morte natural; promover a divulgação das associações que oferecem orientação e apoio às gestantes em crise; pedir a rejeição e improcedência da ADPF 442/2017; pedir a aprovação do projeto de lei (PL) 4754/2016 para coibir o ativismo judicial e impedir que o poder judiciário usurpe as funções e atribuições constitucionais do poder legislativo.

Conforme assinalam, a convocação desta marcha se dá na sequência de outras grandes manifestações públicas em países da América Latina como Peru, Argentina e Guatemala, que reuniram milhões de pessoas.

“A mensagem deixada por estas manifestações foi bem clara: os povos não querem legalizar o aborto, querem políticas públicas para salvar a vida dos dois e medidas para evitar o ativismo judicial dos Tribunais e órgãos de justiça que violem o equilíbrio dos Poderes e a democracia”, reforçam.

Para os organizadores, “a urgência dessa manifestação é cada vez mais clara quando pensamos no caso da Colômbia, que último dia 17 de outubro aprovou, por uma manobra ativista e antidemocrática do Tribunal Superior daquele país, o aborto até o nono mês”.

Desse modo, embora sejam organizadas diversas marchas pró-vida no Brasil durante o ano, “desta vez dessa vez, pela gravidade da situação, as pessoas se organizaram para fazer um ato maior e massivo e para incluir também todas as pessoas interessadas”.

Esta marcha tem “objetivo de incluir pessoas do povo que apoiem a causa, sem distinções, tenta demonstrar que a defesa da vida humana não depende de uma crença específica, ela é intrínseca ao próprio ser humano”.

A Marcha pela Vida será realizada em São Paulo no dia 2 de dezembro, a partir das 14h, na Avenida Paulista, com concentração no Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Outras cidades do Brasil aderiram a esta convocatória, como Palmas (TO), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE).

Fonte: ACI Digital

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.