Impecáveis

Atletas e comissão técnica do Jacaré tomaram conta do gramado da Vila Belmiro para festejar o segundo título paulista
Impecável foi a definição da atuação do Rio Preto/Smel ao vencer o Santos, de virada, por 3 a 1 e conquistar o sonhado bicampeonato paulista , neste sábado, 7, em Santos. Diante de uma Vila Belmiro lotada, com ingressos esgotados antecipadamente e sob chuva, o sistema defensivo do Jacaré foi preciso e o ataque foi matador. É a conquista do segundo título paulista e, novamente, contra o Santos – no ano passado a finalíssima foi no estádio Anísio Haddad. Dessa vez, o título parecia mais difícil depois de o Santos empatar o primeiro jogo da decisão por 1 a 1 em Mirassol. O Rio Preto precisaria de algo inédito para levantar a taça: vencer no caldeirão da Vila Belmiro.

O início da decisão foi agitadíssimo, com dois gols em apenas seis minutos de bola rolando. As Sereias da Vila abriram o placar com Brena, aos quatro minutos, em chute colocado de fora da área com o pé esquerdo. Nem deu tempo de sentir o peso do gol, as meninas do Rio Preto empataram logo em seguida, aos seis minutos, com gol da volante Jéssica em toque de cobertura sobre a goleira Dani. “Achei que estava impedida e que a goleira ia sair. Então não quis dominar e preferi bater por cima”, explicou Jéssica.

O Santos aumentou sua intensidade ofensiva e teve chances com Karen, em cobrança de falta que passou perto da trave direita de Letícia Bussatto. A partir da metade do primeiro tempo, o Rio Preto começou a chegar em cobranças de faltas perigosas da aniversariante do dia, a polivalente Siméia. Em uma delas, aos 45 da primeira etapa, Lelê se posicionou bem diante da zaga do Santos e cabeceou para virar o placar para o Jacaré. “Sempre treino cobranças de faltas e quando tem alguma, procuro a Lelê, a Ana Alice e a Suzana. A Lelê foi muito feliz na conclusão”, afirmou Siméia. “Foi bem gratificante conquistar o título no aniversário. Vou levar isso para a vida.”

Antes do gol, Jéssica ainda havia mandado uma bola no travessão. Para tentar reverter o placar, as santistas voltaram para segunda etapa com duas substituições. E o Rio Preto/Smel não mudou a maneira de jogar na segunda etapa: forte na marcação e saídas rápidas em contra-ataques. “Para esse jogo a gente sabia que tinha que fazer tudo diferente da semifinal contra o Corinthians no Brasileiro. Fomos inteligentes para jogar nosso jogo”, disse Jéssica.

A partir dos 30 da etapa final o Rio Preto começou a controlar o jogo e a atacante Millene quase fez o terceiro gol, mas a zagueira Dani Silva tirou a bola em cima da linha do gol das santistas.

Aos 43 veio o golpe final. Após roubada de bola de Maiara no campo de ataque, Millene driblou zagueira, a goleira santista para finalizar e fechar o placar que garante ao Rio Preto/Smel o segundo título do Campeonato Paulista seguido de sua história. “Tive frieza para definir em um momento para desafogar o jogo”, afirmou Millene, que já havia marcado o gol de empate por 1 a 1, em Mirassol, no primeiro jogo da final . “Destaco a força, a raça, a vontade e a garra dessa equipe”, acrescentou.

(colaborou Victor Stok)

Santos 1 X 3 Rio Preto/Smel

Fichas Técnicas

Santos

Dani Neuhaus; Katiuscia (Jéssica), Camila, Carol Arruda e Dani Silva (Juliete); Cida (Maurine), Brena, Maria (Angelina) e Brena; Patrícia Sochor (Erikinha), Sole Jaimes e Karen (Ketlen). Técnico: Caio Couto.

Rio Preto/Smel

Letícia Bussatto; Gabi Lira, Ana Alice (Maiara), Siméia e Mariana; Di, Suzana, Lelê e Jéssica; Adriana (Maria) e Millene. Técnico: Chicão Reguera.

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho. Local: Vila Belmiro, neste sábado, 7. Gols: Brena, aos 4 do 1ºT, Jéssica, aos 6 do 1ºT e Lelê, aos 45 do 1ºT. Millene, aos 43 do 2ºT.

Sereias valorizam o bi do Jacaré

Rio Preto e Santos têm protagonizado grandes partidas nos últimos anos e novamente decidiram o Campeonato Paulista Feminino, deixando o gosto da conquista mais saboroso para as rio-pretenses. “Não tem palavras para descrever a emoção desse bicampeonato paulista, principalmente dentro da Vila. O time do Santos tem uma folha de pagamentos de quase R$ 2 milhões e a nossa não chega a 350 mil por ano”, disse emocionada a diretora do Rio Preto, Doroteia Oliveira.

No ano passado, o Jacaré conquistou o seu primeiro Paulistão e também contra as Sereias da Vila, atuais campeãs brasileira. As campeãs terão uma premiação de R$ 10 mil divididos entre o elenco de 21 atletas e comissão técnica. Em fases anteriores, a direção distribuiu outros R$ 10 mil em premiação.

Fonte: Diarioweb

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.