Ministro Pontes remaneja recursos para pagar bolsas de pesquisas

Marcos Pontes, líder da pasta de Ciência e Tecnologia, fez um remanejamento “emergencial” de verba para o Conselho Nacional de Pesquisas e Desenvolvimento (CNPq) para o pagamento das bolsas do mês de setembro. O recurso se destina ao pagamento de, segundo Pontes, 80 mil pesquisadores e bolsistas, gerando uma soma de R$ 82 milhões.

O ministro afirmou, informa o Poder360, que medida não era o ideal, mas, no momento, foi a única alternativa: “Fizemos, sim, um remanejamento de R$ 82 milhões que nós tínhamos dentro do próprio CNPq em fomento para a área de bolsas em razão emergencial. É ideal? Não. Mas é o que podíamos fazer”, declarou Pontes. O ministro ainda afirmou que o orçamento enxuto vem da gestão passada com um déficit de R$ 330 milhões: “Diga-se de passagem, esse orçamento curto vem do ano passado. Isso foi aprovado no orçamento do ano passado, já veio com esse déficit de R$ 330 milhões”.

No entanto, apesar do remanejamento, esses recursos serão suficientes apenas para cobrir as despesas deste mês de setembro e o ministério terá de buscar outras fontes de receita para os próximos meses de 2019. Pontes afirma que o déficit restante para os próximos meses do ano gira em torno de R$ 242 milhões e que recursos terão que ser buscados em antecipação de dividendos bancários ou recursos da Petrobras adquiridos através da Operação Lava-Jato: “Tem o restante do ano: estamos falando de mais de R$ 242 milhões. Temos duas opções, a não ser que o Ministério da Economia surja com uma terceira linha. A primeira, que os recursos venham de uma possível antecipação de dividendos dos bancos, que pode entrar nesse mês de setembro. Tem que conversar com a Economia também para manobrar esse recurso. Uma segunda possibilidade é aquele recurso da Petrobras por meio da Lava-Jato”.

Fonte: Estudos Nacionais

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.