Prefeitura de Rio Preto libera obras de hospital

Cercado de aliados em evento que durou mais de duas horas, prefeito Edinho Araújo diz que data é “histórica”; prazo para conclusão da obra é em agosto do ano que vem

Vinícius Marques 20/2/2020 | Edinho (sentado) e o vice-prefeito Eleuses Paiva e o secretário de Saúde em ato simbólico do início da obra que será feita pela Constroeste

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), assinou nesta quinta-feira, 20, a ordem de serviço para início da construção de hospital na região norte, a mais populosa da cidade. O hospital é orçado em R$ 23 milhões e a obra ficará a cargo da Constroeste, que ganhou licitação de permuta de área pública de 145,6 mil metros quadrados no Distrito Industrial, perto do antigo IPA, em troca da construção da unidade de saúde.

O hospital será construído na avenida do linhão na zona norte, na esquina com a avenida Youssef Tarraf, no residencial Atlântida, que fica perto do bairro Eldorado e também da região do bairro Solo Sagrado. O prazo para a conclusão do hospital é 18 meses, ou seja, em agosto de 2012. No local da obra, a Prefeitura instalou uma placa para destacar a construção da nova unidade de saúde.

O evento reuniu mais de 100 pessoas e contou com o apoio de vereadores, secretários, integrantes de partidos, entidades, Acirp e até representantes da Igreja Católica e evangélicos.

A solenidade, que durou mais de duas horas, teve discursos em clima de pré-campanha de Edinho, tido como candidato à reeleição, embora não admita isso publicamente. (leia abaixo).

Edinho classificou a data como um “dia histórico” durante seu discurso. Segundo ele, a necessidade de construção de hospital municipal é discutida “há décadas”, mas até então não saiu do papel.

“Um dia histórico. Pedi a minha equipe que convidassem todas as pessoas, todos segmentos da sociedade, todos os partidos, as organizações, as religiões. Este hospital da região norte era uma reivindicação de toda a sociedade”, afirmou Edinho.

De acordo com informações do município, o hospital será construído em terreno de área de 19,8 mil metros quadrados, com área de construção de 4,6 mil metros quadrados. O prédio será térreo e já prevê ampliação, de acordo com o diretor da Constroeste Denner Fernandes. No início, a obra utilizará material pré-moldado para a construção. O local terá 138 vagas de estacionamento.

O hospital contará ainda com 80 leitos, dos quais 62 serão rotativos, destinados às cirurgias eletivas, de pequena e média complexidades e internações clínicas. Além disso, afirma o Executivo, serão 12 leitos pós-anestésicos, e seis leitos de retaguarda.

O hospital não terá atendimento de emergência. “O consenso é de todos, a necessidade do hospital, dessa forma, que vai desafogar Hospital de Base e Santa Casa, que atendem também essas especialidades”, disse Edinho.

O prefeito afirmou que há possibilidade de expansão e, que para equipar o hospital, serão necessários R$ 5 milhões. No entanto, Edinho afirma que não está definida como será a forma de administração do hospital, que pode ser terceirizada. “A gestão, vamos verificar mais à frente. Esta é uma outra etapa. Está em aberto esta questão”, disse Edinho.

Aliados adotam discursos com tom pré-eleitoral

O início das obras serviu de palanque para discursos em defesa da gestão de Edinho Araújo (MDB). Além de presidentes de partidos, como o DEM, do vice-governador Rodrigo Garcia, vereadores marcaram presença no evento.

Discursaram o presidente da Câmara, Paulo Pauléra (PP), o vice-presidente Fábio Marcondes, que está no PL mas já anunciou filiação ao DEM, além de Cláudia De Giuli (PMB), Márcia Caldas (PPS), Karina Caroline (Republicanos), Jean Charles (MDB), José Marinho (PSB), e Pedro Roberto (Patriota).

O deputado estadual Itamar Borges (MDB) também estava no local. Karina, por exemplo, defendeu ações da gestão na região norte. “A região norte tem sido contemplada com obras importantíssimas. São mais de 200 mil habitantes.”

Marcondes disse que Edinho tem “atitude na sua carreira e currículo”. “São momentos como esse que nos fazem sentir que é possível fazer política correta”, afirmou, por sua vez Jean Charles (MDB). O vereador Pedro Roberto (Patriota) disse que o hospital está em “ponto estratégico”. A obra ficará perto do futuro anel viário.

Pauléra definiu Edinho como “prefeito do sonho que se torna realidade”. Ele listou obras do governo. Ele disse ainda a Edinho que espera que possa “continuar junto por muito tempo”.

Itamar Borges foi além. “Não queremos que seu mandato acabe. Queremos que ele continue”, disse. O prefeito disse que realizou o evento “sem pensar” em eleição. No discurso, Edinho defendeu “união” com a Câmara. “Como vale a pena uma cidade unida, em prol de seu desenvolvimento”, afirmou o prefeito. O vice-prefeito, Eleuses Paiva (PSD), também discursou em defesa das ações do governo do qual faz parte. (VM)

Fonte: Diário da Região

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.