Prefeitura fracassa na busca de patrocínio para Carnaval

O secretário de Desenvolvimento Econômico e de Negócios de Turismo, Jorge Luís de Souza, admitiu que fracassou na busca de patrocínio para a realização do Carnaval em 2020 em Rio Preto. Em reunião com representantes de escolas de samba nesta quarta-feira, 6, ele ainda não conseguiu apoio da iniciativa privada para garantir a realização do desfile, a três meses do evento, cuja estimativa de gasto varia entre R$ 750 mil e R$ 1 milhão.

O Diário tentou, por telefone, falar com o secretário depois do encontro, mas ele afirmou que não poderia atender a reportagem, dizendo que estava em outra reunião. Em nota, a Prefeitura informou que de quatro empresas procuradas pelo poder público, “nenhuma delas se interessou pelo projeto, alegando o alto custo do evento”.

“Uma outra proposta [a uma empresa] será apresentada nesta sexta-feira (8). Após essa reunião, o secretário de Desenvolvimento irá se reunir novamente com os integrantes da Liga para apresentar os resultados”, O Diário apurou que a negociação é com uma cervejaria instalada na região.

Segundo o vereador Pedro Roberto (Patriota), que também participou do encontro de ontem, a realização do Carnaval de 2020 demandaria investimento de R$ 1 milhão com infraestrutura e shows, que seriam incluídos à programação. “Por enquanto, o Jorge [Souza] disse que não há recurso público”, diz o parlamentar. Para baratear custos, uma das propostas apresentadas durante a reunião de ontem seria a realização do Carnaval uma semana antes da data oficial. A antecipação baratearia a contratação dos shows, que ficam mais caros no período da festa.

Neste ano, o prefeito Edinho Araújo (MDB) tirou a organização do Carnaval da Secretaria de Cultura e transferiu a realização do evento para Desenvolvimento Econômico e Negócios de Turismo. Uma das tarefas do secretário era justamente a de encontrar patrocínio para que a Prefeitura não tenha de investir dinheiro público na organização da festa, com exceção à verba repassada às escolas de samba.

O presidente da escola Imperatriz Rio-pretense, Sérgio Parada, disse que duas agremiações afirmaram que estão dispostas a desfilar mesmo sem o apoio da iniciativa privada. Ele afirmou que as escolas (três no total) receberam R$ 40 mil cada referente ao Prêmio “Nelson Seixas” de Fomento à Cultura outros R$ 10 mil serão destinados às agremiações após o desfile. “Estamos trabalhando desde setembro para produzir o Carnaval do próximo ano”, afirmou Parada. A escola que estaria disposta a desfilar mesmo sem patrocínio privado é a Império do Sol, de Vicente Serroni. “Afinal, nós recebemos dinheiro público para isso”, disse o presidente da Imperatriz Rio-pretense.

Parceria

O secretário de Governo, Jair Moretti, afirmou que a ordem do prefeito para a realização do Carnaval é a formalização de parceria com empresas. Moretti acrescentou que o município não dispõe de recursos e que a prioridade são investimentos em saúde e educação. “Podemos ajudar em alguma coisa, o trivial, mas se quiser fazer algo maior é só com parcerias. Inclusive, temos uma ordem rigorosa do prefeito para cortar despesas”, afirmou.

Fonte: Diário da Região

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.