Tragédia em creche de MG

A menina Thallyta Vitória de Oliveira Barros, de 4 anos, morreu na manhã deste sábado, 7, no Hospital João 23, em Belo Horizonte, elevando para dez o número de mortos no ataque à creche Gente Inocente, em Janaúba, Minas Gerais. Além de oito crianças, morreram uma professora e o autor do incêndio, um vigia de 50 anos. Treze vítimas estão internadas em estado grave.

Em Janaúba, a população continua a velar e a enterrar os mortos da maior tragédia do município.

Em uma rua de terra batida, precariamente iluminada por um único poste de luz, dezenas de moradores da cidade, que tem cerca de 70 mil habitantes, se reuniam para se despedir de Cecília Gonçalves Dias, 4 anos. Do lado de fora da casa havia cerca de 20 pessoas. Dentro, outras 30 estavam sentadas em cadeiras de plástico.

Com exceção da professora Heley de Abreu, de 43 anos, que morreu após lutar contra o agressor e salvar crianças, todos os velórios foram realizados na casa das famílias, em meio a símbolos religiosos e fotografias dos mortos. Mesmo feitos de madrugada, concentraram dezenas de pessoas. Não raro, moradores iam pulando de uma cerimônia para outra.

Na manhã de quinta-feira, o vigilante Damião Soares dos Santos, de 50 anos, entrou na creche, espalhou combustível e acendeu um palito de fósforo.

Ao contrário de outras vítimas, o corpo de Cecília não precisou ser velado com o caixão fechado. Os principais ferimentos que sofreu foram na região das costas, provocados pela queda do forro de PVC, que derreteu com as chamas.

Fonte: Diarioweb

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.