Jornada Mundial da Juventude

Jornada Mundial da Juventude

16/07/2016 0 Por Diocese de São José do Rio Preto

Neste mês de Julho vamos vivenciar o maior encontro com os jovens: a Jornada Mundial da Juventude, instituída pelo Papa São João Paulo II, chamado de “Pai da JMJ”. Seu inicio foi em 1986, na cidade de Roma, e a primeira fora de Roma foi em Buenos Aires. A partir de 1987 a Jornada já tinha uma estrutura.

Após a missa inaugural de seu pontificado, ele aparece na janela de seu apartamento e, na praça, havia uma grande multidão jovem, no qual dirige algumas palavras, dizendo que a juventude é a esperança da Igreja, esperança dele e o futuro do mundo.

Vemos nas palavras do Santo Padre a sua preocupação e o seu carinho pela juventude. Ele disse que a “esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo”.

Em Julho deste mesmo ano, Papa Francisco vem ao Brasil celebrar sua primeira JMJ, que foi a segunda jornada maior da história. E neste ano de 2016, papa Francisco celebrara na Polônia, na cidade de Cracóvia, terra de São João Paulo II, o Pai e um dos padroeiros deste grande evento de evangelização.

Em 1984 São João Paulo II entregou uma cruz aos jovens que ficou conhecida como a Cruz dos Jovens, a Cruz da JMJ, que nasce da resposta dos jovens e do desejo do coração do Papa em reunir todo ano com a juventude do mundo inteiro. Em 2003, o Papa João Paulo II deu aos jovens um segundo símbolo de fé para ser levado pelo mundo, acompanhando a Cruz da JMJ: o Ícone de Nossa Senhora, uma cópia contemporânea de um antigo e sagrado ícone encontrado na primeira e maior basílica para Maria a Mãe de Deus, no ocidente, Santa Maria Maior, confiando a juventude à Maria, a qual deveria ser contemplada, sendo ela o sinal da maternidade.

O tema da JMJ em Cracóvia já foi anunciada pelo Papa e será baseada nas bem-aventuranças do Evangelho. O lema será “Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão misericórdia” (Mateus 5:7).

A jornada não é somente um encontro do papa com os jovens, que por si já seria suficiente, mas a jornada oferece o convívio inter-cultural, convívio entre povos, línguas, mentalidades diferentes, vivendo a mesma fé, isso já é um valor imenso; fornece contato com as famílias locais, com as comunidades e proporciona a experiência missionária.  Sua preocupação é pela nova evangelização e pela transmissão da fé as novas gerações.

Após 25 anos a JMJ retorna a Polônia e se torna o terceiro país a sediar o evento em duas edições, e essa JMJ será uma homenagem ao Papa João Paulo II.

Seminarista Thiago Fernandes Batista
3º ano de Teologia

Compartilhe: