Catedral de São José

Catedral de São José



Segunda-feira
07h00- Missa
12h30- Missa
15h00- Novena pelas Almas
15h30- Missa
19h30- Missa

Terça-feira
07h00- Missa
12h30- Missa
14h00- Grupo de Oração
16h00- Missa
19h30- Missa

Quarta-feira
07h00- Missa e novena de N.Sra. do Perpétuo Socorro
12h30- Missa
16h00- Missa e novena de N.Sra. do Perpétuo Socorro
19h30- Missa

Quinta-feira
07h00- Missa e Adoração do Santíssimo Sacramento
12h30- Missa
16h00- Missa do Cordão de São José
19h30- Missa
20h00- Grupo de Oração

Sexta-feira
07h00- Missa
12h30- Missa
16h00- Missa
1ª sexta do mês Missa em Louvor ao Sagrado Coração de Jesus
19h30- Missa

Sábado
08h00- Missa do Imaculado Coração de Maria
17h00- Missa
19h00- Missa

Domingo
08h00- Missa
10h00- Missa
18h00- Missa
20h00- Missa

Atendimento da Secretaria Paroquial
Segunda a Sexta: 7h às 19h
Sábado: 8h às 16h

Confissões
Segunda-feira: 16h às 17h

Terça-feira: 14h às 15h30

Quarta-feira: 15h às 17h

Quinta-feira: 09h às 11h e 14h às 15h30

Sexta-feira: 09h às 11h e 14h às 15h30

Sábado: 09h às 12h

Domingo: 09h às 11h

Batizados (último final de semana do mês)
Sábado: Curso 14h às 16h
Domingo: Batismo 09h

A história dos 163 anos da Igreja-Mãe da Diocese, a Catedral de São José, se confunde com a caminhada da própria Diocese de São José do Rio Preto.   A ocupação da região de Rio Preto começou, em 1840, com a vinda de famílias até então residentes em Minas Gerais. A 19 de março de 1852, deram início a uma povoação construindo uma pequena capela em honra a São José, no patrimônio doado à Igreja por Luís Antonio da Silveira.

O desenvolvimento da região era tão grande que o governo criou o Município em 19 de abril de 1894 e a Comarca em 09 de junho de 1904. A Vila teve um surto de desenvolvimento ainda maior e passou à categoria de Cidade. Em 1912, um feliz acontecimento veio aumentar ainda mais o desenvolvimento da cidade: os trilhos da Estrada de Ferro Araraquarense – EFA.

Novos habitantes começaram a chegar, imigrantes vindos principalmente da Itália, Portugal, Espanha e Líbano. Hoje em dia é uma das cidades mais formosas e prósperas do Brasil, com extraordinário potencial de desenvolvimento.

A Capela dedicada ao padroeiro São José construída por volta de 1852, provavelmente, sob a orientação de Pe. J. Ferreira da Rosa, vigário de Araraquara, é consagrada, dois anos mais tarde, pelo Pe. José Maria de Oliveira, também daquela cidade. Finalmente, em 1857, recebe Provisão, sendo oficialmente instituída Capela. Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, Bispo de São Paulo, determina a criação da Paróquia de São José concedendo-lhe provisão no dia 15 de  janeiro de 1882. Três anos antes (1875), a Lei Provincial nº 4 já determinara que a Capela fosse elevada a foros de Freguesia. Seu  primeiro pároco, o Padre José Bento da Costa, toma posse.

O nome de São José foi escolhido em cumprimento à promessa do doador do patrimônio e por ser devoção bastante difundida entre os moradores da região.

A primeira Capela foi reformada e ampliada diversas vezes. Em 1912, foi demolida e no dia 26 de maio, lançada a pedra fundamental da Igreja Matriz de São José. Provisoriamente na Casa Paroquial eram realizadas as funções religiosas. Em 04 de setembro de 1914, durante a  visita do Arcebispo-bispo de São Carlos, Dom José Marcondes Homem de Mello, a capela-mor da Matriz, já coberta e respaldada internamente, recebeu bênção solene.

Em 1929, Rio Preto é elevada a Diocese. A Matriz de São José assume o seu papel de Catedral, igreja-mãe de toda a Diocese quando Dom Lafayette Libânio assume o bispado em 20 de janeiro de 1931.

A construção da Matriz se fez ao longo de mais de dezoito anos (1912-1930), com diversas interrupções. Em 1931, estava concluída externamente. Seu interior começou a ser decorado a partir dos anos quarenta com o artista Antônio Ferrante.

Durante sua história, a paróquia foi atendida por religiosos jesuítas e beneditinos, e por sacerdotes diocesanos. Durante décadas, a velha Matriz serviu de Catedral. Por determinação do segundo bispo diocesano, Dom José de Aquino Pereira, que desejava dar um templo novo à sede da Diocese, a partir de 1973, foram iniciados os trabalhos de demolição da velha Matriz e a edificação do novo. Ele foi construído no mesmo local onde a primeira capela deu origem à cidade.

Em 1977, Pe. Santo Marini, responsável pela construção, falece e os seus sucessores modificam o projeto original. Até este momento histórico, a Nova Catedral não foi totalmente concluída.

Ao longo de sua história como paróquia, desde 1882, passaram pela Catedral 27 párocos ou curas, sem contar os seus vigários. Atualmente, a Catedral São José se caracteriza pelo aconselhamento espiritual e pela assistência pastoral na área do Sacramento da Reconciliação a pessoas de toda a cidade e região. Nesse trabalho de evangelização, o atual cura, Padre Deusdet Aparecido Zanfolim, é auxiliado pelo vigário paroquial, Padre José Luis Garcia de Albuquerque.

Texto: Nilce Lodi

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online