Paróquia Imaculado Coração de Maria

Paróquia Imaculado Coração de Maria



Matriz
Quarta-feira: 19h30
Sexta-feira: 18h  Adoração ao Santíssimo Sacramento, 19h  Benção  com o Santíssimo Sacramento e Missa às 19h30
Sábados: 19h (horário/verão) 19h30
Domingos: 19h (horário de verão) 19h30

Capelas
São Judas Tadeu: Todo o dia 28 de cada mês às 19h30 (durante a semana)
Domingo: 8h (horário de verão) 8h30

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: (atualmente fechada) toda última terça feira do mês 19h30 (horário de verão) 20h celebrando nas casas

Comunidade Residencial Corimbatás:  2º sábado do mês 10h celebrando nas casas.                                                                                                                                                        – Comunidade Citrosol: (quando solicitado)
Área urbana (redes de comunidades): Todas as quintas-feiras às 19h30 celebrando nas casas.

Atendimento da Secretaria Paroquial
Segunda à sexta feira das
8h às 11h e das 14h às 17h
Sábados das 14h às 17h

Confissões
Quartas-feiras: das 8h às 11h e das 15h às 17h (e quando necessário consultar)

Batizados
Na Capela São Judas Tadeu todo último domingo do mês após a Missa

Outras informações: Visitação aos enfermos todas as sextas-feiras e quando for necessário

Em busca de terras produtivas para atividades agrícolas, migrantes em geral de origem Italiana, por volta de 1928, começaram a formar um lugarejo de nome Vila São Jacinto, em homenagem ao então doador das terras e um dos supostos fundadores Doutor Jacinto de Souza, juntamente com Lázaro Soares Dias.

Após o falecimento de dona Maria Amaral Mendonça, esposa do Dr. Jacinto, acharam por bem homenageá-la mudando o nome do lugarejo para Vila Amaral Mendonça, que até 1936, pertencia ao Distrito de Paz de Nova Itapirema.

Em janeiro de 1936, o lugarejo é elevado a Distrito de Paz; e em1944, Distrito de Nova Aliança, sob a comarca de São José do Rio Preto.

A comunidade católica fincou, na praça central, um cruzeiro, que, segundo os relatos históricos, os senhores Turíbio Marcheto e Matucheu Marcheto o fabricaram com madeira de lei que resiste até hoje, e que, no fundo do buraco, no qual ele foi plantado, foi também enterrado o que chamaram de pedra fundamental (uma garrafa de vidro, com o histórico e nomes das famílias até então reunidas no lugarejo). Começa, então, a história religiosa que, no seu início, teve como protagonistas alguns padres missionários como o pe. José Jansem, frei Baltazar e frei Ninceto. Por exemplo, em 1935, houve uma missão com visita e catequese nas casas, com presenças de Zulmira Zaniolo de Monte Alto; Ângela Mafalda Bernardes, de Sorocaba e Geni Valoti Giroldo, de Rio Claro.

Logo se nota a necessidade de um templo na praça para celebrações e ponto de encontro da comunidade, deu-se então início as organizações das festividades para arrecadar fundos para a construção da primeira capela. Basicamente as doações pessoais e as quermesses foram as fontes para custear as obras.

Nesse período, com a dificuldade de visitas esporádicas por parte dos padres, surgem algumas pessoas que exercem seus dons para atividades religiosas na comunidade, através de terços rezados na capela e nas casas por Regina Rizzo, e por volta de 1939 em devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, foi construído uma capela em um bairro rural, existente até os nossos dias, dando origem e costume de rezar novena em sua homenagem todas às quartas-feiras até hoje.

Em franca evolução, a capelinha na praça já não comporta mais os fiéis, começam a mobilização para a construção da igreja matriz com planta arrojada para a época que é mantida até os dias atuais. A obra grandiosa para a época foi desenvolvida pelos pedreiros Joaninho Rizzo e Roque Balestrin, que optaram pela construção ao redor da capela existente, que foi demolida quando a nova igreja estava em fase de acabamento.

Em janeiro de 1960, a cidade de Mendonça é elevada a Município. Entretanto, ainda era uma capela pertencente à Paróquia de Nova Aliança. Nesse período, vários padres prestaram assistência espiritual dentre eles, Pe João Nolte; Pe Germano; Monsenhor Ângelo; Pe Gusman; Pe Rapa e Pe Salvador.

Aos 12 de abril de 1975, com missa solene celebrada pelo Exmo. Sr bispo diocesano Dom José de Aquino Pereira e concelebrada pelo primeiro pároco Pe Aírton, e presença de autoridades e grande público, foi lido o decreto de criação da paróquia Imaculado Coração de Maria, e de posse do pároco que, durante o seu trabalho pastoral, reformou e mobiliou a casa paroquial, bem como adquiriu um carro usado para o serviço pastoral.

Desde a criação da Paróquia, foram estes os padres responsáveis pela comunidade católica de Mendonça:

Padre Aírton – 12/04/1975- 13/13/1976

Padre Antonio Rech – 20/12/1976 – 13/02/1977

Padre Antonio Augusto Meira dos Santos – 12/03/1977 – final de 1979

Padre Carlos Augusto de Oliveira – 1980-1981

Padre Julian Martim Cubillas – 12/12/1981 – Maio de 1994

Padre Ladislau Obora – Junho de 1994 – Fevereiro de 1996

Padre Murilo Gomes da Silva – Junho de 1996 – 02 de janeiro de 2003

Padre Lourival Ângelo Marques – Fevereiro de 2003 –

Padre Marcos Antonio Mocci –  – até os dias atuais

CAPELA SÃO JUDAS_IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA
Capela São Judas Tadeu

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online