Paróquia São João Batista e Santuário das Almas

Paróquia São João Batista e Santuário das Almas



Segunda-feira às 15h Novena da almas e às 19h30 Novena e missa
Terça-feira às 8h
Quarta-feira às 20h ( Redes de Comunidades)
Quinta-feira às 6h30
Sexta-feira às 19h30
Sábado 8h (somente no período de Catequese) e às 19h30
Domingo às 8h e às 19h

Atendimento da secretaria
De segunda a sexta-feira das 8h às 11h e das 13h às 17h
Sábado das 8h às 12h

 

Confissões
Durante a semana no período da tarde ou nos horários marcados na secretaria

Batizados
Último domingo do mês (marcar com 2 semanas de antecedência)

Segundo os relatos históricos, a comunidade foi formada pelos legionários da Basílica, que vinham ajudar na Catequese e na Missa mensal, numa Capela que existia na Rua Osvaldo Aranha, na altura do atual Posto Presidente por onde passava a “estrada boiadeira”, onde já existia uma capela dedicada a São João Batista. Essa Capela foi posteriormente demolida, em vista da construção da atual Igreja. O nome escolhido do Padroeiro São João Batista, é devido a existência da antiga Capela, já mencionada. A atual comunidade foi constituída no dia 23 de junho de 1974, por Dom José de Aquino Pereira, desmembrando a Capela São João Batista da Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e da Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O lançamento da Pedra Fundamental do novo templo ocorreu no dia 12 de julho de 1975, sendo celebrada uma missa nesse mesmo dia. Dom José nomeou como primeiro pároco o Padre Miecislaw Lekent, que ficou a frente da comunidade apenas por seis meses.

No dia 20 de dezembro de 1974, o bispo diocesano empossou o Padre José Ribeiro de Freitas. Em sua gestão, ele teve a ideia de construir um “Santuário das Almas”, para dar incentivo a uma das mais populares devoções (as almas) seguindo o modelo do Santuário das Almas de São Paulo e de Niterói (o nosso Santuário é o quinto no Brasil), querendo assim mudar o título de São João Batista para Santuário das Almas.

Com a saída do Padre José Ribeiro de Freitas da Paróquia, a devoção pelas almas continuou seu curso, fazendo–se duas das três novenas que eram celebradas nas segundas-feiras, sendo divulgadas em programa de rádio da cidade. Deu-se início a uma Campanha de “Mini lápides”, feita pela “Confraria das Santas Almas”, que consistia no pagamento de um carnê que dava direito a gravar em uma Cerâmica o nome de uma pessoa falecida, cuja peça ficaria assentada nas paredes da “Capela das Velas”, uma construção redonda, meio abaixo do nível normal da construção. Esta Capela foi demolida posteriormente e aterrada por ser inviável o seu funcionamento e, por ser em nível baixo, sempre havia crianças andando em cima do telhado, tendo ocorrido vários acidentes.

O Padre José Ribeiro de Freitas incentivou a mudança do título de Paróquia de São João Batista para Santuário das Almas, como nos arquivos da Cúria não está registrado Santuário das Almas, mas Paróquia São João Batista, procurou-se conciliar os dois, ficando oficialmente: Paróquia São João Batista e Santuário das Almas.

Entre 18 de janeiro de 1981 a 26 de janeiro de 1983, Padre Agostinho João Cardoso exerceu sua atividade pastoral na referida Paróquia. Com sua saída, Padre Dionel Seixas assume a comunidade no dia 18 de junho de 1984, coordenando-a até junho de 2011. A partir de 06 de agosto de 2011, por determinação de Dom Paulo Mendes Peixoto, 4º bispo diocesano, o atual pároco Padre Octavio Berti Júnior foi empossado. Atualmente, a Paróquia São João Batista tem duas capelas: São Benedito e São Cristovão do bairro de Gonzaga de Campos. Dentro de seu perímetro paroquial, localizam-se os bairros: Jardim Canaã, Jardim Roseana, Parque Industrial (parte),Vila Tonelo, Vila Capitão Luis Pinto, Jardim Novo Aeroporto, Vila Marta, Jardim Congonhas, Jardim Herculano, Vila Itália, Distrito Industrial, Gonzaga de Campos.

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online