Palavra do Bispo › 11/09/2020

“EU CREIO, MAS AJUDA-ME NA MINHA FALTA DE FÉ” (Mc 9,24)

Imagem: Pixabay/Domínio Público

Na vida, não poucas vezes, nos encontramos envoltos por fortes neblinas que obscurecem a visão à distância. No momento presente, a incerteza gera insegurança, que se faz nossa companheira. A vida é tecida de muitas incertezas e poucas certezas, menos segurança que insegurança; isso ocorre até mesmo no que é denominado de “ciência”, e a vida de fé também não foge a esta “regra”.

Não podemos e não devemos viver estagnados, mesmo quando somos tomados pela incerteza e insegurança, pois elas são constitutivas da nossa vida, variando de intensidade em cada ocasião. A estagnação pode nos conduzir à putrefação, fruto da perda de sentido e da razão de viver. A ação permanente, “vagarosa” que seja, descortina novas razões e constrói novas sendas.

O que vivemos não é o fim, nem o começo; é apenas o caminho a ser percorrido, do modo possível, que seja expressão de cuidado com o outro e consigo mesmo. Quando se fecha uma porta, alguma janela permanecerá aberta, por ela a luz entrará. Quando não há estrada pronta, ainda assim, caminhar é preciso, para criar novas trilhas que um dia tornar-se-ão caminhos seguros.

Na atual conjuntura, o Salmo 90(91) nos ajuda a rezar expressando nossa confiança em Deus diante dos temores atuais. Vejamos alguns versículos: “Não temerás terror algum durante a noite, nem a flecha disparada em pleno dia; nem a peste que caminha pelo escuro, nem a desgraça que devasta ao meio-dia.”(…) “Nenhum mal há de chegar perto de ti, nem a desgraça baterá à tua porta; pois o Senhor deu uma ordem a seus anjos para em todos os caminhos te guardarem.” (…) “Porque a mim se confiou, hei de livrá-lo e protegê-lo, pois meu nome ele conhece. Ao invocar-me hei de ouvi-lo e atendê-lo, e a seu lado eu estarei em suas dores. Hei de livrá-lo e de glória coroá-lo, vou conceder-lhe vida longa e dias plenos, e vou mostrar-lhe minha graça e salvação” (Sl 90(91), 5-6.10-11.14-15).

Precisamos seguir adiante, ainda que a passos curtos; não há uma tecla “play” verde, que, acionada, colocará tudo nos trilhos como num piscar d’olhos. Caminhar juntos, iluminados pela fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, o Bom Pastor; pela caridade, derramada em nossos corações pelo Divino Espírito Santo e com a esperança colocada na misericórdia e bondade de Deus Pai. Nas trilhas a serem desbravadas, não nos faltará a terna e materna proteção do Imaculado Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto, SP

 

 

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.