Palavra do Bispo › 09/02/2018

Oração e jejum pela paz

O Santo Padre, o Papa Francisco, nos convoca para um dia de jejum e de oração em favor da paz, 23 de fevereiro do ano em curso, tendo presente no coração as realidades conflituosas, sobretudo da República Democrática do Congo e da República do Sudão do Sul.

São muitos os conflitos, e maiores as tensões, entre países, etnias e grupos dentro de uma mesma nação. Parecemos viver em uma “corda bamba” que pode romper a qualquer momento e colocar-nos em uma situação de guerra ampliada envolvendo muitas nações.

Entre as autoridades mundiais, o Papa Francisco tem sido uma voz solitária a gritar em nome da paz, alertando para o risco iminente de novo conflito mundial e atômico. Os governantes parecem olhar somente para seus respectivos países e interesses.

A oração e o jejum nos colocam no nosso lugar, no “nosso quadrado”, no contexto da natureza, da história, na sociedade e na Igreja. Eles nos ajudam a construir a paz interior, que é mais fruto da ação do Espírito Santo em nós. À ação do Espírito Santo, respondemos com disponibilidade interior e com posturas pacíficas, que antes de tudo visam a nós mesmos. A oração e o jejum nos fazem solidários com os outros, próximos e distantes. Eles nos aproximam, nos fazem dar as mãos, fazem nossos corações bater em sintonia. Eles nos levam a compaixão, a olhar com-paixão para a pessoa, sobretudo, a empobrecida e/ou sofredora, àquela que sofre as consequências da guerra, das tensões e das provocações internacionais. Eles não permitem permaneçamos indiferentes e nos mobilizam para indignar-nos diante de cada um e todos os conflitos que ferem a paz.

A oração e o jejum são clamores ao Deus da paz para que não nos deixe unir na construção das guerras, de todas as guerras, pequenas e grandes, interiores ou exteriores. São brados elevados à Fonte da Paz para que nos auxilie na tessitura da paz cotidiana. São instrumentos que iluminam a inteligência e fortalecem a vontade no desejo de realizar o anseio de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei da Paz: “Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9).

Neste 23 de fevereiro, acolhamos o pedido do Santo Padre o Papa Francisco: oremos e jejuemos pela paz.

+ Tomé Ferreira da Silva

Bispo Diocesano de São José do Rio Preto- SP

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.