Igreja no Mundo › 16/05/2018

Papa: o dever de todo batizado

Papa cumprimenta uma menina na Praça de São Pedro. Foto: Daniel Ibáñez / ACI Prensa

 

Papa Francisco recorda aos cristãos sua responsabilidade como batizados

O Papa Francisco recordou aos cristãos a sua responsabilidade como batizados ao terem sido revestidos com as vestes brancas de Cristo, que deverão manter limpas, e ao serem portadores da luz da salvação, que terão que levar à humanidade.

Durante a Audiência Geral na manhã de hoje, na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Santo Padre refletiu sobre o simbolismo das vestes brancas e da luz da vela durante o Batismo.

Em sua catequese, o Papa disse que “os efeitos espirituais deste sacramento invisíveis aos olhos, mas operativos no coração de quem se tornou nova criatura, são explicitados pela entrega das vestes brancas e também da vela acesa. São sinais visíveis que manifestam a dignidade dos batizados e sua vocação cristã”.

“A vestimenta branca – assinalou – expressa simbolicamente o que ocorreu no sacramento, anuncia a condição dos transfigurados na glória divina. O mandato de usar esta vestimenta pura para a vida eterna marca o caminho que, da fonte batismal, leva à Jerusalém celestial”.

“O que significa revestir-se de Cristo? Recorda São Paulo quais são as virtudes que os batizados devem cultivar: ‘escolhidos por Deus, santos e amados, devem revestir-se de sentimentos de ternura, de bondade, de humildade, de mansidão, de magnanimidade, suportando reciprocamente e perdoando uns aos outros, mas sobretudo devem revestir-se da caridade que os une de modo perfeito’”.

Sobre a vela, Francisco explicou que “também a entrega ritual da chama tirada do círio pascal recorda o efeito do batismo: ‘Receba a luz de Cristo’. Estas palavras recordam que não somos nós a luz, mas a luz é Cristo, o qual, ressuscitando dos mortos, venceu as trevas do mal. Somos chamados a receber o seu esplendor!”.

“Como a chama do círio pascal dá luz a cada vela, assim também a caridade do Senhor Ressuscitado inflama os corações dos batizados, enchendo-os de luz e calor. E por isso, desde os primeiros séculos, o Batismo se chamava a ‘iluminação’, aquele que era batizado era chamado o ‘iluminado’”.

Nesse sentido, destacou que “esta é, de fato, a vocação cristã: ‘caminhar sempre como filhos da luz, perseverando na fé’. Quando são crianças, a tarefa é dos pais, junto com os padrinhos e madrinhas, de ter o cuidado de alimentar a chama da graça batismal nas suas crianças, ajudando-os a perseverar na fé”.

“A presença viva de Cristo, a ser protegida, defendida e dilatada em nós, é lâmpada que ilumina os nossos passos, luz que orienta as nossas escolhas, chama que aquece os corações a ir ao encontro do Senhor, tornando-nos capazes de ajudar quem caminha conosco, até a comunhão inseparável com Ele”.

Finalmente, o Papa chamou a atenção sobre a importância de rezar o Pai Nosso na conclusão da celebração do batismo: “A celebração do Batismo se conclui com a oração do Pai Nosso, própria da comunidade dos filhos de Deus. Na verdade, as crianças renascidas no Batismo, receberão a plenitude do dom do Espírito Santo na Confirmação e participarão na Eucaristia, aprendendo o que significa dirigir-se a Deus chamando-o ‘Pai’”.

 

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.