“Que procurais? Eles responderam: Rabi, que quer dizer Mestre, onde moras? Ele respondeu: Vinde e vede! Foram, viram onde ele morava e permaneceram com ele aquele dia” (Jo 1, 38-39).

6527baacea18f3458405cabd69b2e852ae758355

Ao constatar, no cenário da catequese, a Pessoa do Catequista que temos que, com muita boa vontade e esforço se empenha no processo iniciático da fé, percebemos, ainda, algumas limitações que o impede de responder com sabedoria o clamor do momento. Tendo claro que desejamos implementar uma Catequese de Iniciação à Vida Cristã, que passa pelo caminho da mistagogia, é preciso delinear o perfil do catequista. Tudo indica que é preciso ir às fontes escrituristas nas quais encontramos, desde a pedagogia de Jesus e da própria Igreja nascente, um modelo de formação coerente com o processo de transmissão da fé. Para isso, necessitamos que o catequista seja formado como:

* Ouvinte da Palavra e discípulo a serviço da Palavra

* Testemunha e Profeta

* Mestre, Pedagogo e Mistagogo

a) Catequista, ouvinte e discípulo da Palavra

O catequista desempenha um ministério que é o serviço da Palavra. Como ouvinte e discípulo da Palavra, ele/a se caracteriza como pessoa que tem feito a experiência do encontro com Jesus Cristo e a adesão à sua proposta de Reino. São conscientes de que seu ministério é um caminho inacabado. Na verdade, ele que busca crescer na fé e alimenta-se diariamente da Palavra de Deus e que se coloca a serviço da mesma com ardor missionário. Partindo da Palavra, dá razões da sua Fé (da fé da Igreja).

É essa Palavra ouvida, meditada, celebrada e testemunhada que sustenta a pessoa do catequista, dando o estímulo necessário para o bom desempenho de sua missão catequética.  O catequista, ao mesmo tempo em que é ouvinte ativo e perseverante da Palavra, é o anunciador dessa Palavra sempre nova. O catequista deve guiar o itinerário de conversão daqueles que, tendo descoberto Jesus Cristo, querem continuar a descobrir a graça da fé, até alcançar a plenitude da vida cristã. O catequista, discípulo a serviço da palavra, transforma seu ministério em permanente anúncio da Palavra, que convoca a ser seguidor de Jesus Cristo.

A serviço da Palavra, o catequista se realiza por meio do testemunho, que se exprime numa interação da fé com a vida, é a garantia da autenticidade do ministério. O catequista, ao ser uma voz que remete à Palavra, é alguém que encaminha para Deus, pois a experiência de fé exige sempre um mediador que seja testemunha. O discípulo da Palavra sabe que deverá recriar a figura do Mestre, que catequiza e é catequizado ao mesmo tempo. Ou seja, formando e formador de pessoas maduras na fé. Pois ele/a ensina não sua própria pessoa, mas a de Cristo Jesus, assim como afirma o Evangelho de João “é necessário que ele cresça, e eu diminua” (Jo3, 29). O crescimento do catequizando na experiência da fé se torna, assim, uma alegria do catequista ouvinte e discípulo da Palavra.

Fonte: VII SULÃO DE CATEQUESE

Pe. José Eduardo Vitoreti

Pe. José Eduardo Vitoreti

Ver todos os posts
Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Conteúdo relacionado

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.