Cnbb › 20/11/2019

Reunião do Setor Espaço Litúrgico

Setor Espaço Litúrgico se reúne, em São Paulo, para última reunião de trabalho do ano

A equipe do Setor Espaço Litúrgico da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) esteve reunida no Mosteiro São Geraldo, em São Paulo-SP, até esta quarta-feira, 20 de novembro, para a última reunião de trabalho do ano. Durante o encontro, avaliaram o 12º Encontro Nacional de Arquitetura e Arte Sacra realizado em castanhal, no Pará, em setembro e deram continuidade na redação final do estudo que vai trazer Orientações para Adequação Litúrgica, restauração e conservação das Igrejas.

Segundo o padre Thiago Faccini Paro, perito do Setor Espaço Litúrgico da CNBB, o estudo está na fase final, com a primeira redação submetida a apreciação de vários especialistas e bispos que enviaram suas contribuições. Agora, explica o padre, a equipe está pegando essas contribuições, avaliando e fazendo uma redação final para ser enviado ao Conselho Permanente da CNBB que vai aprovar a publicação do estudo. Uma vez publicado pela Edições CNBB, esse estudo irá ajudar todas as comunidades paroquiais na elaboração dos projetos de adequação dos seus espaços litúrgico.

De acordo com o documento, o estudo apresenta orientações referentes à reforma, manutenção, conservação e ao restauro de igrejas na perspectiva da adequação litúrgica, a partir da importância simbólico-funcional do espaço celebrativo redescoberta pela renovação litúrgica e está dividido em três capítulos.

O primeiro aborda o tema da eclesiologia das igrejas no Brasil até a sua renovação proposta pelo Concílio Vaticano II; o segundo é referente ao tema central: adequação litúrgica. Explica o que é uma adequação, a partir da própria definição do termo e também dos objetivos da intervenção e o terceiro salienta a importância do patrimônio cultural, das políticas de salvaguarda existentes e da necessidade de diálogo com os órgãos governamentais de preservação, com o objetivo de adequação litúrgica.

O estudo esclarece, ainda, que todo projeto de restauro das igrejas tombadas exige um projeto de adequação litúrgica. Segundo padre Thiago, as igrejas construídas antes do Concílio Vaticano II foram erguidas para atender ao rito vigente de cada época.

“Uma vez que o rito é mudado essas igrejas precisam ser adequadas ao novo rito, claro que cuidando de preservar o patrimônio, porém para que ela continue cumprindo sua finalidade”, avaliou.

O religioso aponta ser necessário adequar essas Igrejas para que posam servir à sua finalidade que é celebrar o culto e também adequar as igrejas que foram construídas pós Concílio Vaticano II. “Nessa mudança nós não tínhamos muito claro orientações de como deveríamos construir as igrejas pra atender ao rito proposto pela reforma litúrgica do Concílio”, conclui.

O estudo vai ser apresentado aos bispos em uma das reuniões do Conselho Permanente para avaliação, emendas e aprovação. Ainda no encontro, a equipe formada por cinco especialistas de diversas regiões do país também preparou o calendário de atividades do próximo ano e destaca que irá organizar o 2º Encontro Nacional da Pastoral do Artista Sacro, com artistas responsáveis de criar e executar obras de artes em igrejas e capelas no Brasil para refletir e estudar a arte litúrgica – que é a arte própria dos espaços celebrativos.

Fonte: CNBB

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.