Especiais › 07/12/2015

Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora

Missas em louvor à Imaculada Conceição

Catedral de São José 12h30 e 19h30
Paróquia Imaculada Conceição de Nossa Senhora 8h e 19h30
Paróquia São Benedito e Nossa Senhora do Líbano 19h30 (Programação Completa)

Inauguração da Capela Imaculada Conceição de Nossa Senhora – 19h30 / Missa Presidida por Dom Tomé Ferreira da Silva
Rua Joana Anderi Chalela, esquina com a Rua Cedral, Bairro Jardim Conceição

História
Segundo a Igreja Católica, o bom senso dos fiéis sempre acreditou na imunidade de Maria do pecado original. Tanto no Oriente como no Ocidente, há grande devoção à Maria enquanto mãe de Jesus e “Virgem sem Pecados”, notados desde os primórdios do cristianismo, quando o dogma da Imaculada Conceição já era tido para os fiéis como verdade de fé.

Definição dogmática
Aos 8 de dezembro de 1854, Pio IX, na Bula Ineffabilis Deus (Deus inefável), fez a definição oficial do dogma da Imaculada Conceição de Maria. Assim o Papa se expressou:

Em honra da santa e indivisa Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a nossa, declaramos, pronunciamos e definimos a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus e, portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis.

A Definição do Dogma
Depois de na humildade e no jejum, dirigirmos sem interrupção as Nossas preces particulares, e as públicas da Igreja, a Deus Pai, por meio de seu Filho, a fim de que se dignasse de dirigir e sustentar a Nossa mente com a virtude do Espírito Santo; depois de implorarmos com gemidos o Espírito consolador; por sua inspiração, em honra da santa e indivisível Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a Nossa, declaramos, pronunciamos e definimos:

Doctrinam, quæ tenet, beatissimam Virginem Mariam in primo instanti suæ conceptionis fuisse singulari omnipotentis Dei gratia et privilegio, intuitu meritorum Christi Jesu Salvatoris humani generis, ab omni originalis culpæ labe præservatam immunem, esse a Deo revelatam atque idcirco ab omnibus fidelibus firmiter constanterque credendam.

A doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante da sua Conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus, e por isto deve ser crida firme e inviolavelmente por todos os fiéis.

Quem é a Imaculada
O ser de Maria é ser Imaculada Conceição. Ela pertence ao gênero humano, isto é, um estado de ser que não subsiste em si mesmo; que não tem existência em si, mas que recebeu de Deus. Por isso o seu ser conceição significa que ela distingue-se de Deus, e é semelhante a todas outras criaturas, tendo inicado a sua existência no tempo.

Agora, sendo Imaculada, ela traz em si uma diferença específica: desde o início de sua existência não houve nela o mínimo de afastamento de Deus, por ser ela a “cheia de graça” (Lc 1,28). É por ser Imacualda que é a criatura mais próxima do ser de Deus.

A Imaculada Conceição foi quista e realizada por Deus no tempo (criatura concebida), com a semelhança da essência de Deus, pelos méritos de Jesus Cristo, o Filho de Deus, preservada da mancha do pecado. Assim, a Imaculada é comparada, a partir do pensamento de São Maximiliano: “Se uma coisa é branca, pode sujar-se. Mas se é a própria brancura, não sofre mais nenhuma mudança” SK 1224. Esta é a Imaculada: a brancura de Deus, que não pode ser atingida pela corrupção do pecado; por isso preservada no corpo, assunta ao céu.

Fonte: miliciadaimaculada.org.br

Veja mais:
Santo do Dia http://bispado.org.br/?post_type=santododia&p=31834
L
iturgia Diária: http://bispado.org.br/?post_type=liturgia&p=32028

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online

Deixe o seu comentário

Você deverá estar conectado para publicar um comentário.