Neocatecumenato

Neocatecumenato

Assessor: Pe. Reginaldo Angelotto
E-mail: reginaldoangelotto@gmail.com

 

A natureza do Caminho Neocatecumenal é definida por S.S. João Paulo II, quando escreve: “Reconheço o Caminho Neocatecumenal como um itinerário de formação católica, válida para a sociedade e para os tempos de hoje”. O Caminho Neocatecumenal está a serviço do Bispo como uma das modalidades de realização diocesana da INICIAÇÃO CRISTÃ e da educação permanente à fé.
O Neocatecumenato, enquanto itinerário de redescobrimento da iniciação cristã por parte dos adultos batizados, é realizado na paróquia “ambiente ordinário no qual se nasce e se cresce a fé”, e entre os adultos pode se distinguir:

1- aqueles que se afastaram da Igreja;
2- aqueles que não foram suficientemente evangelizados nem catequizados;
3- aqueles que desejam aprofundar e amadurecer a sua fé;
4- aqueles que provêm de confissões cristãs que não estão em plena comunhão com a Igreja Católica.

O Caminho Neocatecumenal, como todo verdadeiro itinerário de catequese, é também um meio para suscitar vocações sacerdotais, e também diversas formas de missão tais como: Catequistas itinerantes para responder aos pedidos de Dioceses longíquas, famílias em missão que a pedido dos Bispos se estabelecem em regiões descristianizadas ou onde for necessária uma “implantatio ecclesiae” através de uma “missio ad gentes”.

Resumo dos acontecimentos fundamentais do percurso institucional:

-8 de maio de 1974: O Papa Paulo VI recebe, pela primeira vez, os iniciadores do Caminho, Kiko e Carmen, acompanhados pelo padre Mário, juntamente com numerosos itinerantes e elogia a proposta de um catecumenato pós-batismal.

-Julho e agosto de 1974: A Congregação para o Culto Divino autoriza o uso do RICA (Ritual de Iniciação Cristã para Adultos) para o catecumenato pós-batismal e publica, no Notitiae, uma nota de apoio ao Caminho Neocatecumenal.

-12 de janeiro de 1977: É apresentado ao Santo Padre um esquema (projeto) do itinerário do Caminho e Paulo VI dedica a audiência geral da 4ª feira para elogiar este caminho após o batismo: “É aqui o renascimento do nome catecumenato que, certamente não quer invalidar nem diminuir a importância da disciplina batismal vigente, pelo contrario, quer aplicá-lo como um método de evangelização gradual e intensivo, relembrando  e renovando de certa forma o catecumenato dos outros tempos.”

-19 de dezembro de 1988: A Congregação para o Culto Divino autoriza algumas adaptações para a celebração da eucaristia nas comunidades neocatecumenais.

-30 de agosto de 1990: O Santo Padre João Paulo II publica uma carta Ogniqualvolta reconhecendo, pela primeira vez, o Caminho Neocatecumenal: “Reconheço o Caminho Neocatecumenal como um itinerário de formação católica válida para a sociedade dos tempos atuais. Convido os irmãos do Episcopado que valorizem a ajudem – junto com seus presbíteros – esta obra para a Nova Evangelização, para que se realize conforme as linhas propostas pelos iniciadores, no Espírito de serviço ao Ordinário do lugar e em comunhão com ele, e no contexto da unidade da Igreja particular com a Igreja universal”.

-24 de janeiro de 1997: O Santo Padre João Paulo II orienta aos iniciadores do Caminho que se dê início ao “processo de definição de um estatuto do Caminho”, sob a orientação do Conselho Pontifício para os Leigos.

-02 de fevereiro de 1999: A Congregação para Doutrina da Fé, dirigida pelo Prefeito Card. Joseph Ratzinger e do Secretário Mons. Tarcísio Bertone, iniciam o estudo das “Orientações para a equipe de catequistas”.

-29 de junho de 2002: Aprova-se ad experimentum, por cinco anos, os Estatutos do Caminho Neocatecumenal.

-11 de maio de 2008: Na Solenidade de Pentecostes, os Estatutos do Caminho são promulgados de maneira definitiva por decreto do Conselho Pontifício para Leigos, após ter obtido a aprovação de outras quatro congregações (a Fé, o Culto Divino, o Clero e a Educação católica).

-24 de novembro de 2010: O Conselho Pontifício para Leigos comunica que a 17 de janeiro de 2011: Torna-se pública a aprovação do Diretório Catequético e Bento XVI abre 13 novas missões ad gentes.

-20 de janeiro de 2012: A Santa Sé aprova as celebrações do itinerário neocatecumenal contidas no Diretório Catequético. Além disso, Bento XVI envia 17 novas missões ad gentes pelo mundo.Congregação para a Doutrina da Fé deu a aprovação doutrinária das orientações, a partir de agora será Diretório Catequético do Caminho Neocatecumenal.

-17 de janeiro de 2011: Torna-se pública a aprovação do Diretório Catequético e Bento XVI abre 13 novas missões ad gentes.

– 20 de janeiro de 2012: A Santa Sé aprova as celebrações do itinerário neocatecumenal contidas no Diretório Catequético. Além disso, Bento XVI envia 17 novas missões ad gentes pelo mundo.

Addthis Facebook Twitter Google+ PDF Online