15/03/2016 0 Por Diocese de São José do Rio Preto

Jesus falava aos discípulos para terem cuidado diante do “fermento de Herodes e dos fariseus” (Mc 8,15), educando-os, então, para a verdade e a justiça. Quais os principais “fermentos” que exigem vigilância constante do discípulo?

A preocupação de Jesus em bem formar os discípulos e apontar caminhos para a verdade, emergindo daí uma nova consciência, deve perpassar hoje nossa missão de seguidores. Precisamos ficar atentos aos fermentos da ideologia do sistema neoliberal, do mercado religioso, do consumismo, do relativismo, da corrupção e das formas veladas de violência e padronização da pessoa. Somos chamados a não deixarmos crescer em nós fermento da maldade. É preciso tomar cuidado com a mentalidade de grupo fechado, indo em busca das ovelhas perdidas e acolhendo-as nas comunidades. Precisamos combater a mentalidade de considerar-nos superiores aos outros, abrindo-nos a humildade e a comunhão, percebendo-nos unidos na fragilidade e no pecado. Temos que perpassar o obstáculo da competição e do prestígio, assumindo a missão como servi- ço, assim sendo reconhecidos a partir do amor. É preciso superar a mentalidade de quem marginaliza o pequeno, sendo instrumento de benção, de abraço e de ternura. Precisamos superar a mentalidade contrária à misericórdia pedida pela Igreja nesse ano. Um caminho para o exercício da superação do “fermento da maldade”, está no exercício fecundo das obras de misericórdia, que nos ensina a agir no amor e nos abre aos outros, e como nos diz São João da Cruz, no entardecer da vida, o amor nos julgará.

Envie também sua dúvida que poderá ser respondida na próxima edição do jornal, escreva e-mail para robertobocalete@yahoo.com.br. Obrigado e até o próximo mês.

Pe. Roberto Bocalete
Administrador Paroquial da Paróquia São João Batista – Américo de Campos

Compartilhe: