13/09/2016 0 Por Diocese de São José do Rio Preto

Os primeiros passos do novo paradigma de iniciação cristã

Fiel ao compromisso de transmitir a fé que recebeu, a Igreja tem buscado dar respostas pastorais aos desafios que lhe são apresentados. O tema da iniciação à vida cristã está no eixo das atuais prioridades missionárias da Igreja. Expressões como, ‘nova evangelização’, ‘missão continental’, ‘Igreja em estado permanente de missão’, ‘conversão pastoral’, deixam transparecer os esforços em rever o processo de iniciar na fé, em uma sociedade cujos pilares já não garantem a adesão religiosa. Pode se dizer que é aguda a atual consciência de que não se chega a ser cristão apenas com o rito do batismo. Graças a essa consciência, novos caminhos e projetos pastorais começam a ganhar corpo. Não obstante, o nosso foco principal ser o catecumenato, como caminho mais adequado para iniciar na fé, não se pode prescindir de toda uma concomitante caminhada pastoral que está possibilitando a afirmação de uma nova pedagogia e novos pressupostos em vista da construção de uma fé adulta.

Se o tema da iniciação cristã, tão enfatizado e recomendado em vários documentos eclesiais, não é novo na ação pastoral, é a partir dos anos 1950 que cresce a consciência da urgente necessidade de rever o tradicional paradigma de transmissão da fé, rompendo de vez com o estigma de ser o cristianismo uma religião de muitos batizados, mas de poucos iniciados na fé. O ponto de partida de uma nova consciência do processo de iniciação está no chamado ‘movimento catequético’, contudo é a partir do Concilio Vaticano II que se pode genuinamente falar do impulso renovador catequético, muito embora o Concílio não tenha abordado explicitamente o tema. Expressões como catequese evangelizadora, catequese missionária, catequese iniciática, as quais apontam para a substituição do paradigma de iniciação pautada na sacramentalização e doutrinação pela busca de uma pedagogia centrada no existencial e vivencial não seriam realidades sem os ares do aggiornamento do último Concílio Ecumênico.

Fonte: Paróquia e Iniciação Cristã – editora Paulus.