A minha experiência na JMJ 2016 Cracóvia

A minha experiência na JMJ 2016 Cracóvia

16/08/2016 0 Por Diocese de São José do Rio Preto

Ter vivido mais uma experiência de Jornada Mundial da Juventude foi para mim e creio que para muitos jovens, um encontro íntimo com o Senhor Jesus, que se manifestou para nós, jovens, de uma forma amorosa e profunda, mesmo em meio às alegrias e fadigas desse encontro mundial. Fui tocado profundamente e impelido a ser sal da terra e luz do mundo em meio à realidade em que vivo.

O encontro com nosso amado Papa Francisco foi contagiante, seu carisma e humildade peculiares nos levou a uma reflexão sólida e penetrante de nossos atos. Com o auxílio do Espírito Santo, o papa nos exortou a assumir concretamente um compromisso com Cristo e sua Igreja. Na missa de envio, no domingo, nos animou e conscientizou a deixarmos de ser “jovens de sofá” ou “jovens aposentados”, isto é, deixarmos nosso comodismo e as falsas seguranças do mundo para sermos realmente felizes, colocando-nos a serviço de Jesus e dos irmãos. O papa frisou a importância de não construirmos muros ao nosso redor, mas construirmos pontes para unir e não separar; disse que este é o papel de um jovem cristão que se alegra em congregar e se entristece com a segregação.

À luz do Evangelho de Lucas que retratou o episódio de Zaqueu, Francisco reafirmou a relevância de sairmos do nosso falso bem-estar para encontramos Jesus Cristo, pois Jesus é um Deus que age, mas espera com paciência nosso exercício de se aproximar dele, afinal, ele mesmo não obriga ninguém a amá-lo, deixando o ser humano livre para optar por ele ou não. O papa disse, ainda, que precisamos fazer como Zaqueu, que se esforçou para subir em uma figueira e ver Jesus. Assim, se fizermos nossa parte, que é tão pequena, Deus com certeza fará todo o resto.

Agradeço profundamente à diocese de São José do Rio Preto com suas respectivas paróquias, que não mediram esforços para me proporcionar momentos tão gloriosos que vivi nesta Jornada Mundial da Juventude em Cracóvia, ao nosso grupo de peregrinação, com quem pude aprender muito com os desafios que vivenciamos, e à família polonesa que me acolheu calorosamente em sua casa, me servindo deliciosos cafés da manhã e me dando toda a atenção e carinho, mesmo eu não falando seu idioma.

Nesta JMJ 2016 na Polônia pude aprender muito com jovens do mundo todo, assim como desfrutar da companhia de nosso amado Papa Francisco. Peço a intercessão de São João Paulo ll e coragem a Jesus de deixar minhas seguranças superficiais para me colocar mais intensamente a serviço do Senhor, da Igreja e dos mais necessitados, mergulhando sempre para águas mais profundas. Amém.

Seminarista Mateus Benvenido Alves Esteves
2º ano de Teologia