01/03/2017 0 Por Diocese de São José do Rio Preto

Se você costuma utilizar o computador ou smartphone durante muito tempo, já deve ter ouvido que “ficar muito tempo de frente para a tela faz mal para os olhos”. Caso você tenha ignorado esse aviso, é melhor pensar duas vezes: a visão pode ser prejudicada pelo uso excessivo do computador.

Caso você realmente passe muito tempo em frente ao monitor, você pode não ter apenas um, mas uma série de problemas conjuntos ocasionados pelo esforço em ficar olhando a tela durante horas.

Hoje este problema ocular ocasionado pelo uso excessivo de computador é chamado de síndrome de visão por computador ou CVS (do inglês computer vision syndrome)   um dos males modernos que surgiram juntamente com os avanços da tecnologia.

Como isso ocorre?
Nossa visão fica cansada exatamente como as pernas, por exemplo, após praticarmos uma atividade física: os olhos também não aguentam a tensão gerada pela repetição de uma atividade por muito tempo. No caso, tal tarefa é a necessidade de focar durante todo o tempo em um pequeno espaço, para enxergar de maneira definida todas as imagens e textos que são formados pelos pixels na tela do computador. E esse cansaço vai muito além da simples falta de vontade de continuar olhando para a tela: a pessoa normalmente sente em seus olhos sintomas como ardência, ressecamento, vermelhidão e dificuldades em focalizar a imagem, além de dor de cabeça constante e desconforto em ambientes mais iluminados.

Há ainda outro fator que assusta: usar o computador por três horas diárias já pode ser o suficiente para desenvolver esse problema – quantidade de tempo muito pequena e que afeta não só quem trabalha com computadores, mas também passa horas em casa conectado na internet, seja jogando ou papeando com os amigos.

O que fazer?
Esse é um problema que traz certo risco, mas é facilmente tratável. Além do acompanhamento médico, que pode incluir o uso de colírios especiais (para evitar o ressecamento dos olhos) ou até lentes para corrigir a visão, você pode ser aconselhado a evitar o computador por certo tempo. Atitudes e cuidados simples em seu ambiente de lazer ou trabalho podem deixar seus olhos mais preparados para um uso controlado do computador. Conheça algumas delas como por exemplo:

a)Reveja sua postura de frente para a tela durante a navegação. Ela é tão importante quanto o tempo de exposição ao monitor e, se você estiver mal posicionado, isso pode acelerar o processo de cansaço visual

b) Cuide da iluminação e até da ventilação do local, pois eles são mais essenciais do que parecem. Procure não ter ar-condicionado ou ventilador apontados para seu rosto. Já a falta de luz no local faz com que seus olhos cansem mais depressa, portanto procure utilizar o computador em locais mais arejados.

c) Pisque com frequência . Essa ação, que pode parecer inútil, é uma das mais importantes na prevenção do cansaço visual – e muita gente se esquece de fazê-la enquanto está olhando para a tela. Piscar lubrifica a córnea , impedindo alguns dos sintomas da síndrome, como ressecamento dos olhos e dores de cabeça. O uso de colírios lubrificantes oculares podem ser úteis.

d) A pausa é essencial. Ao usar o computador por uma hora, tire 10 minutos para relaxar os olhos. Mas ao trocar o computador por outra atividade, trate de selecioná-la bem. Sair do computador e partir para a televisão ou uma leitura, por exemplo, pode ser igualmente prejudicial, pois é necessário focalizar as letras ou outra tela para manter a concentração. Procure tarefas leves e relaxantes, que exijam menos da visão.

e) Existem protetores de telas de computador que podem suavizar a luminosidade e proporcionar mais conforto ocular.

Apesar de ser possível mostrar as causas e os sintomas da síndrome da visão cansada por uso de computadores, o diagnóstico deve ser feito de forma individual.

Se você se encaixa nas informações contidas no artigo e suspeita que está com esse problema, procure um oftalmologista para saber se você apresenta algum problema ocular ou se realmente precisa dar umas férias ao seu computador.